quinta-feira, 10 de maio de 2012

Compulsão Alimentar - Por Carla Cristiane Presutti


O que é
Também chamada de Transtorno da Compulsão Alimentar Periódica, pode ser classificada como um TRANSTORNO ALIMENTAR, e se caracteriza por episódios de ingestão alimentar extremamente excessiva. Para que a pessoa seja diagnosticada com este transtorno, um dos critérios levados em consideração é que o comportamento precisa estar ocorrendo no mínimo duas vezes por semana por um período de seis meses.

No momento em que a pessoa apresenta a compulsão, é tomada por um forte sentimento de não conseguir parar ou controlar o que ou quanto se come, além de angústia em relação ao próprio comportamento.
Critérios como estes abaixo, também se associam com a compulsão alimentar:

* Comer muito e mais rapidamente do que o normal;
* Comer até sentir-se incomodamente repleto;
* Comer grandes quantidades de alimentos, quando não está fisicamente faminto;
* Comer sozinho por embaraço devido à quantidade de alimentos que consome;
* Sentir repulsa por si mesmo, depressão ou demasiada culpa após comer excessivamente.

Quais são as causas?
Podemos supor pelo menos três fatores que colaboram para o desenvolvimento de uma compulsão alimentar: Genéticos, Sócio-culturais e o próprio modo da pessoa lidar cognitivamente com os fatos.

Referente as origens genéticas, é comum observamos parentes de primeiro grau que já tenham apresentando algum tipo de transtorno alimentar ou transtorno de humor, como ansiedade ou depressão.

Questões sócio-culturais, querem dizer que, dentro do ambiente familiar de muitas pessoas, assim como na sociedade, constatamos a valorização da estética corporal, atribuindo-se culpa aqueles que não se encaixam neste perfil, e por último, vale citar o próprio modo da pessoa representar internamente os acontecimentos à sua volta e à si mesma.

Como é o tratamento?
O tratamento é composto por uma equipe multidisciplinar, envolvendo nutricionista, psicólogo e médicos, que podem ser o endocrinologista ou um psiquiatra, dependendo do quadro, pois cada caso é tratado de forma única. Contudo, de modo geral, o tratamento irá focar na conscientização do paciente de que necessita promover mudanças na área cognitiva e comportamental, além de aprender a administrar suas emoções e sua alimentação de formas mais saudáveis e produtivas em sua vida.

10 comentários:

  1. Amei! Seu blog é uma gracinha!!!! Sucesso sempre!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Carla!!!
      Agradeço a você por deixá-lo mais bonito e saudável!!!

      Bjo
      Lindsay

      Excluir
  2. Respostas
    1. oi Gi, que bom que gostou!!!
      VOltei Sempre!

      Excluir
  3. Oi amiga, obrigado pela visita no meu cantinho .
    Quanto a chia ,fala mesmo com sua nutri ,a minha falou muitas jóias sobre ela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vou falar!!!

      bjo e obrigada pela visita!

      Excluir
  4. Oi Lindsay,muito bom o seu post,acho que não chego a ter compulsão alimentar,mas quando estou chateada ou ansiosa,como doce,na verdade acho que poderia comer uma caixa de bombons em um único dia:( um lindo dia,bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É gi, é complicado né?
      Precisamos nos conter!!! Pra nao descontar do nosso corpo as coisas da nossa mente!!!
      obrigada pela visita sempre viu! bjo

      Excluir
  5. Olá amiga te sigo me siga!! beijocas e força!

    http://diariodeumagordacompulsiva.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi Dani!
      vc foi minha 400º seguidora!! eeeeeee

      obrigada pela visita!
      Bjo

      Excluir

Últimos Comentários